Sexualidade pós-gravidez

Geralmente, enquanto a intenção do homem é recuperar sua vida sexual, a mulher transfere toda a sua energia para os cuidados com o filho

A mão de um homem e de uma mulher juntas
Ellen Cristie
Ellen Cristie21, Julho - 20215.1 minutos de leitura

Este talvez seja um dos assuntos mais polêmicos entre o casal depois que o bebê nasce. Como será a sexualidade depois do parto? O sexo entre os dois será deixado de lado ou voltará revigorado, até mais que antes da gestação?

A verdade é que a mulher vive um turbilhão de sentimentos em muito pouco tempo. São hormônios em quantidades irregulares, o cansaço, a amamentação, a novidade de um novo ser em casa, todas as mudanças em torno dele, enfim, como encaixar a vida a dois nesse mar de afazeres.

Geralmente, enquanto a intenção do homem é recuperar sua vida sexual, a mulher transfere toda a sua energia para os cuidados com o filho. 

Mas como é o sexo logo após o parto?

Os especialistas não recomendam que a mulher tenha relações sexuais nas três primeiras semanas após o parto ou até quando ela se sentir apta física e psicologicamente. Nos primeiros dias pós-parto, a região íntima precisa se recuperar e cicatrizar, especialmente se for parto normal. 

No caso da cesárea, o corte também incomoda e o ato sexual pode fazer com que a cicatriz abra, pois a região ainda está muito sensível. 

Quanto tempo esperar?

O tempo sempre vai depender de outros fatores - o tipo do parto, a intervenção feita e a recuperação pós-nascimento do bebê. Embora os especialistas definam um período entre 20 a 40 dias para que o casal retorne com as relações sexuais, a própria mulher é a mais indicada para dizer se está pronta e decidir qual é o melhor momento.

Além disso, há outras formas de amor que não somente a penetração. Fazer carícias, beijar e elogiar a mulher contribuem para que ela se sinta mais segura, ajudando nessa fase de abstinência. 

É verdade também que alguns casais relatam mudanças nessa fase da vida no que diz respeito às relações sexuais. O corpo da mulher está diferente, é um período estressante para ambos e alguma insegurança pode vir a surgir. 

O ideal é que, após a liberação do médico, o casal possa retomar o contato sexual regular, embora seja comum que os dois se queixem da fase exaustiva e da redução do desejo sexual, já que o recém-nascido realmente demanda muita atenção. 

Mudanças hormonais

A amamentação é um momento único na vida da mulher. No entanto, algumas transformações ocorrem no corpo da mulher, muitas vezes sem que ela perceba. A prolactina aumenta durante a produção do leite, não deixando os ovários produzirem hormônios que estimulariam o desejo feminino.

Durante esse período, a produção de hormônios que lubrificam a vagina também é menor, o que pode causar algum incômodo durante o ato sexual.

E, por último, a testosterona da mulher cai e este é justamente o hormônio responsável pela libido, ou seja, ela com certeza pensará em sexo muito menos que o homem. 

Embora o prazer nem sempre seja momentâneo, o casal pode recorrer às ‘preliminares’ durante um tempo maior e ao uso de lubrificantes que não contaminem o leite materno. 

Outra mudança percebida é a alteração física no corpo da mulher. Depois do parto, os músculos vaginais geralmente estão mais frágeis e a distensão da vagina fica maior. É recomendável fortalecer os músculos na região por meio de exercícios específicos. Os exercícios de Kegel, como são denominados, contribuem para o fortalecimento da área, podendo ajudar a mulher, inclusive, a ter mais satisfação sexual. 

Um bom diálogo com a outra parte do casal é fundamental, mesmo porque esse processo e todas as questões decorrentes disso são totalmente normais e esperadas. É preciso ter paciência e ser honesto. É a melhor forma de superar essa fase.

Não deixe que isso estrague o relacionamento

Com a chegada de um filho, o casal precisa manter um diálogo aberto para que a relação a dois não esfrie. Criatividade, parceria e honestidade são fundamentais nesse momento. Tentar entender o lado do outro ajuda para que esse processo seja leve e construtivo. 

Com o tempo, a vida sexual volta ao normal e, muitas vezes, até melhor.