Reversão de laqueadura: é possível?

Nem sempre é possível reverter a laqueadura. O que vai influenciar é a forma como o procedimento foi feito e quais regiões da trompa foram ou não danificadas

Homem abraça a barriga da mulher junto com ela
Ellen Cristie
Ellen Cristie26, Maio - 20216.6 minutos de leitura

Para aquelas mulheres que têm certeza que não querem mais filhos, a laqueadura - procedimento médico de esterilização feminina - cai como uma luva.

O processo impede que o óvulo se encontre com os espermatozoides, por meio do bloqueio das duas trompas. Esse bloqueio é feito por meio de pontos cirúrgicos, eletrocoagulação ou clipes. 

Geralmente, é feita após o parto normal ou cesárea, por laparoscopia ou por via vaginal. Somente mulheres com mais de 25 anos ou com dois filhos vivos podem realizar a laqueadura via Sistema Único de Saúde (SUS), assim como no sistema privado.

Se a mulher for casada, é necessária uma autorização do cônjuge para que a cirurgia seja liberada. 

Mas e no caso daquelas mulheres que, depois de terem se submetido à laqueadura, se arrependem do procedimento?

Como reverter a laqueadura?

Nem sempre é possível reverter a laqueadura. O que vai influenciar são aspectos que envolvem a cirurgia, ou seja, a forma como o procedimento foi feito e quais regiões da trompa foram ou não danificadas. 

A cirurgia de reversão é feita via laparoscopia. Pequenos cortes são feitos para a inserção de uma microcâmera e de instrumentos. 

A técnica se assemelha à reversão da vasectomia, sendo que os canais são reconectados por meio de uma microsutura, pois as tubas uterinas têm entre 3 e 5 milímetros de diâmetro. Para melhorar a irrigação sanguínea dos tecidos, é retirada a região em que a cicatriz da laqueadura se encontra.

Uma solução de soro com corante azul é injetada antes dos pontos que vão unir os dois lados. O corante serve para testar se a tuba uterina está aberta. No procedimento, podem ser utilizadas anestesia geral, raquidiana ou peridural.

Já em outro tipo de procedimento, é colocado um anel ou ‘grampos’ que comprimem as tubas e obstruem a passagem dos óvulos, impedindo a gravidez.

Em que situações é possível fazer a reversão da laqueadura?

Para que a reversão seja possível, é preciso que o final das trompas tenha sido preservado quando a laqueadura foi feita. A tuba também não pode estar doente, dilatada ou com cicatrizes (aderências). 

A quem é indicada?

A reversão da laqueadura é indicada para mulheres com idade inferior a 35 anos. Mulheres acima dessa idade têm maior dificuldade para engravidar, portanto, a idade influencia nas taxas de sucesso dessa técnica. 

Além disso, mulheres na menopausa não devem recorrer à reversão, porque não liberam mais óvulos. Portanto, não tem mais sentido fazer a reversão.

Duração da cirurgia

A cirurgia é pouco invasiva, mas mesmo assim é considerada de alta complexidade porque os micropontos são dados em ambos os canais. Portanto, o procedimento deve durar entre duas a quatro horas. 

Pós-operatório

Após a cirurgia, a internação geralmente é de 24 horas, mas em alguns casos pode ser até três dias. É recomendável a abstinência sexual por 30 dias ou até o fim da próxima menstruação para que não haja possibilidade de infecção na região vaginal. 

Atividades físicas também não são indicadas. Analgésicos podem ser usados para dor. 

Chances de gravidez

O procedimento de reversão da laqueadura somente se torna eficaz após 30 dias da cirurgia. A previsão é que a mulher consiga engravidar em um período de 6 a 12 meses. 

No entanto, as chances de engravidar após o procedimento caem de 15% a 20%. Mulheres com idade inferior a 35 anos têm, em média, 80% de sucesso após a cirurgia. 

Há alguma contraindicação?

Uma contraindicação ‘relativa’ refere-se a mulheres que tenham feito muitas cesáreas, porque há risco de rotura uterina.

O especialista vai verificar também se o casal não tem algum problema de fertilidade, como baixa mobilidade ou baixa contagem de espermatozoides. Nesses casos, o ideal é uma fertilização in vitro. 

E os riscos?

Entre os principais riscos da reversão da laqueadura está a ocorrência da gravidez ectópica, isto é, uma gestação fora do útero.

As chances de que uma gravidez ectópica ocorra variam de 8% a 20%, dependendo do comprimento da tuba uterina ou da porção dela em que foi realizada a reversão.  

Há ainda riscos como sangramento, durante o procedimento, e infecção. 

Onde fazer?

Geralmente, o procedimento é feito em clínicas de urologia ou hospitais particulares, já que o serviço não é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).