Principais cuidados com a pele durante a gravidez

Assim como outras partes do corpo, a pele da gestante sente o impacto das transformações físicas e hormonais por que passa a mulher

Gestante passando creme na barriga
Ellen Cristie
Ellen Cristie21, Maio - 20216.6 minutos de leitura

É muito comum que as gestantes se esqueçam de cuidar da pele durante a gravidez. São tantos afazeres até a chegada do bebê, que cuidar de si vai ficando para trás e, quando se percebe, já é tarde demais para reverter o quadro.

Alterações físicas e hormonais

Assim como outras partes do corpo, a pele da gestante sente o impacto das transformações físicas e hormonais por que passa a mulher, em um momento especialmente marcante na vida dela.

Seja o aspecto das unhas, a pigmentação - desde antes da gravidez e que piora no decorrer dos nove meses - até mudanças fisiológicas. Portanto, a pele acaba sendo um espelho dessas alterações.

Mas por onde começar?

Algumas partes do corpo são mais sensíveis que outras, especialmente algumas áreas mais expostas, como o rosto e os braços. Mas o resto do corpo também exige cuidados.

Uma das dicas é hidratar bem determinadas áreas para evitar o ressecamento da pele e o surgimento de estrias - embora o fator genético e o estiramento da pele sejam preponderantes nesses casos.

Dê destaque para regiões como seios, glúteos, coxas e barriga. O ideal é usar produtos com óleos ou emolientes na composição, como semente de uva, amêndoas e manteiga de karité. 

Uma outra recomendação é fazer atividades físicas. A liberação das toxinas durante os exercícios ajuda a manter a pele saudável. Além disso, manter as pernas para cima, usar meias elásticas que reduzem o inchaço e, de vez em quando, fazer sessões de drenagem linfática contribuem para a melhora da pele durante a gestação.

Principais alterações cutâneas da gravidez

Mesmo que determinadas alterações não sejam consideradas doenças, elas podem prejudicar o lado psíquico da gestante, prejudicando até mesmo o bebê. As principais mudanças são:

Aparecimento de estrias

As estrias são lesões das fibras elásticas da pele, que formam cicatrizes. É que essas fibras têm um limite de elasticidade. Se a distensão ocorre rapidamente, a pele não consegue acompanhar o ritmo do estiramento, dando lugar às estrias. 

Muito frequentes na gravidez, as estrias aumentam especialmente no terceiro trimestre da gestação, devido ao maior estiramento da pele, com destaque para a região do abdômen.

No caso das gestantes, quando as estrias já se instalaram, o ideal é investir em tratamentos estéticos pós-parto - a exemplo de peelings e microagulhamento, técnicas que reduzem o problema.

Celulite

A celulite - aqueles furinhos que se assemelham à casca de laranja - costumam piorar na gestação, especialmente nas nádegas e nas coxas. As causas são várias, entre as quais alteração hormonal, retenção de líquidos e dificuldade de circulação em decorrência da gravidez.

Uma dica para reduzir esse aspecto é controlar o peso por meio de uma dieta balanceada, que inclua frutas, legumes e verduras, além do consumo de água. Usar meia elástica também pode reduzir os sintomas.

Rosto

A pele do rosto durante a gravidez tende a ser mais oleosa, acneica e sensível. A dica é limpar, hidratar e proteger contra o sol, nessa ordem. Use um produto específico para o seu tipo de pele, controlando a oleosidade e hidratando a pele. Tônicos faciais podem ajudar após a lavagem.

Use um creme hidratante a base de glicerina, vitamina E, pantenol e aloe vera. Produtos como água termal são excelentes para hidratar as peles sensíveis.

Alterações pigmentares (melasma)

O melasma, caracterizado por manchas escuras muito comuns na gravidez, principalmente no rosto, podem surgir também em áreas como mamilos, vulva e aquela linha do meio da barriga, em decorrência das alterações hormonais. 

O segredo para fugir de manchas é usar filtro solar, mesmo no caso de grávidas que passam o dia inteiro em casa. Ele evita o surgimento de novas manchas, além de prevenir a pele contra o envelhecimento precoce.