Fique atento: acompanhe o calendário de vacinação para bebês acima de 1 ano

Todas essas vacinas são gratuitas e devem ser administradas na maternidade ou em postos de saúde

Médica segurando uma seringa
Ellen Cristie
Ellen Cristie11, Junho - 20216.6 minutos de leitura

Cuidar do calendário de vacinação do seu bebê requer organização. Para quem pensa que esse ciclo termina por volta de 1 ano de idade, a verdade é que a programação de vacinas proposta pelo Ministério da Saúde requer atenção até a idade adulta. 

Todas essas vacinas são gratuitas e devem ser administradas na maternidade ou em postos de saúde. 

Caso a vacinação não ocorra por esquecimento, é fundamental vacinar a criança assim que for possível. Também é muito importante manter o calendário em dia para que ela fique totalmente imune.

Em caso de esquecimento é importante vacinar a criança assim que for possível ir no posto de saúde, além de ser fundamental tomar todas as doses de cada vacina para o bebê ficar totalmente protegida.

O que levar no dia da vacinação

É importante que os pais não se esqueçam da caderneta de vacinação no dia que a criança for tomar a vacina. Nela, são registradas as vacinas administradas durante toda a trajetória da criança, além de ser marcadas as datas das próximas vacinações. 

A maioria das vacinas é aplicada na coxa ou no braço. Veja abaixo o calendário da vacinação a partir de 1 ano:

Aos 15 meses

  • Reforço da vacina inativada poliomelite (VIP) com a vacina oral poliomielite (VOP) 
  • Dose única da vacina contra hepatite A.
  • Reforço da vacina pentavalente.
  • Uma dose da vacina tetra viral ou tríplice viral + varicela: previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora.
  • Primeiro reforço da tríplice bacteriana (DTP - difteria, tétano e coqueluche)

Aos 4 anos

  • Vacina tríplice bacteriana (DTP): 2º reforço da vacina contra o tétano, difteria e coqueluche;
  • Vacina pentavalente: 5ª dose com reforço de DTP contra tétano, difteria e coqueluche;
  • Reforço da vacina contra a febre amarela;
  • Vacina contra a poliomielite: segundo reforço da vacina.

Até 5 anos

  • Influenza

A vacina contra a gripe (influenza) deve ser tomada anualmente por crianças de seis meses a cinco anos.

A partir dos 7 anos

  • Vacina dupla adulto

É indicada como reforço para tétano e difteria, após os 7 anos, usuários com sistema incompleto ou não vacinados. Deve ser atualizada a cada 10 anos, em todos os indivíduos.

Aos 9 anos (meninas) e 12 anos (meninos)

HPV 

Transmitido sexualmente, o vírus do papiloma humano (HPV) é um dos causadores do câncer de colo de útero. Imunizando crianças antes do início da atividade sexual é possível reduzir os índices desse tipo de câncer.

Cada criança deverá tomar duas doses para completar a proteção, sendo que a segunda deve ser administrada seis meses depois da primeira.

Se o esquema de vacinação não for iniciado aos 9 anos, a vacina deve ser aplicada o mais rapidamente possível. No caso de adolescentes acima de 15 anos não imunizados, serão três doses, no primeiro mês, um mês depois e seis meses depois. 

A partir de 11 anos

  • Meningocócica ACWY

A vacina ACWY previne as meningites e as doenças meningocócicas causadas pela bactéria meningococo dos sorogrupos A C, W e Y. A doença meningocócica é uma forma grave de meningite bacteriana, altamente contagiosa, causada pela bactéria Neisseria meningitidis, também conhecida como meningococo.

Para quem não foi vacinado na infância, são duas doses com intervalo de cinco anos. Para os vacinados, há o reforço aos 11 anos ou cinco anos depois do último reforço na infância. 

Quando ir ao médico?

Caso a criança tenha tomado uma vacina e apresente alguma reação, pode ser que os pais tenham que levá-la ao médico. Veja em quais casos:

  • Febre superior a 39ºC.
  • Convulsões
  • Dificuldade para respirar
  • Tosse
  • Alterações na pele, como irritação ou bolinhas vermelhas

O que ocorre é que os sintomas citados acima devem ser observados nas duas horas subsequentes à vacinação. É importante evitar o agravamento do problema. 

É seguro vacinar com a pandemia de Covid-19?

Em todos os momentos da vida, a vacinação é fundamental para a sobrevivência da humanidade. Postos de saúde por todo o Brasil seguem à risca os protocolos para garantir a segurança de todos.

Além de ativar nosso sistema de defesa contra bactérias e determinados vírus, as vacinas previnem e amenizam a gravidade de muitas doenças. Por isso, não deixe de sempre verificar o cartão de vacinação, sempre consultando um especialista para verificar se tudo está correndo bem.