Febre em bebês e crianças: como lidar

Uma criança está em estado febril quando ela apresenta um quadro superior a 37,8ºC, embora isso não signifique que é preciso medicação

Mão segurando a mão do bebê
Ellen Cristie
Ellen Cristie24, Junho - 20216 minutos de leitura

A febre é um dos sintomas que mais preocupa os pais, especialmente de bebês e crianças de 2 ou 3 anos. Embora os especialistas digam que a febre nada mais é do que um sinal de alerta, ou seja, uma reação natural do corpo diante de algum agente infeccioso, ela sempre é confundida com uma doença propriamente dita.

Mas como se define a febre?

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), podemos considerar que uma criança está em estado febril quando ela apresenta um quadro superior a 37,8ºC, embora isso não signifique que é preciso medicação.

Nesses casos, o mais indicado é que a criança seja agasalhada, hidratada (com água, soro oral e líquidos à vontade). A temperatura deve ser medida após 30 minutos da ingestão de líquidos. Geralmente, o estado febril desaparecerá. 

Caso isso não ocorra, outros sinais de alerta merecem atenção. Não basta que a criança atinja 38ºC ou 38,5ºC. É preciso verificar seu estado geral: ela está prostrada, desanimada ou sonolenta? Aí, sim, é importante o uso de um antitérmico. Uma temperatura de mais de 41ºC, ainda que muito rara, pode ser fatal.

Como medir a temperatura do bebê ou da criança?

Há várias formas de medir a temperatura do bebê ou da criança. Na boca, testa, ouvido, axila ou reto. Geralmente, as pessoas optam pelo termômetro digital, por ser de mais fácil manuseio, com resultados mais rápidos. 

Especialistas não recomendam o uso do termômetro de vidro porque, caso ele se quebre, é perigoso expor as pessoas ao mercúrio. 

Embora seja um incômodo, a temperatura do reto é a mais precisa de todas por definir com maior proximidade a temperatura dos órgãos internos. Para que funcione, é preciso que o bulbo do termômetro seja recoberto com lubrificante. A criança deve ficar de bruços e o termômetro é introduzido delicadamente até 2,5 centímetros no reto. É importante que a criança não se mexa.

No caso da temperatura do ouvido, um dispositivo digital mede a radiação infravermelha do tímpano. A sonda do termômetro é colocada no entorno da abertura do ouvido. O objetivo é vedar o ouvido. Posteriormente, o botão ‘iniciar’ é pressionado e um mostrador digital fornece a temperatura.

Já a temperatura oral se mede por meio de um termômetro digital, colocado sob a língua da criança. Em crianças pequenas, o procedimento é mais difícil, porque elas apresentam alguma dificuldade em manter a boca fechada, sem mordê-lo. O recomendável é que seja após os 4 anos. 

A temperatura da testa é medida por meio de radiação infravermelha de uma artéria da testa - a artéria temporal. O botão da leitura é pressionado enquanto se move ao longo da testa. O mostrador digital fornece a temperatura, mas o método não é tão preciso se comparado à temperatura retal. 

Por fim, a temperatura da axila é muito popular entre as famílias, pela facilidade com que pode ser acessada. No entanto, a leitura é menos precisa do que outros métodos - como a temperatura retal ou do ouvido. Mas ainda é melhor usá-la do que não medir a temperatura em caso de dúvida.

Quando é importante baixar a febre?

Nem sempre a febre exige tratamento, especialmente se não for muito alta e se for em crianças saudáveis. Por outro lado, crianças com histórico de distúrbio pulmonar, cardíaco ou cerebral precisam de uma atenção maior. É que a febre eleva a frequência cardíaca e por isso é importante focar na redução da temperatura corporal. 

Consequências da febre

- Irritação

- Falta de sono

- Falta de apetite

- Perda de interesse (letargia)

- Convulsão (nos casos mais graves)