Doença na gravidez: o que é e como tratar a toxoplasmose

Doença não provoca sintomas, mas nos casos em que o sistema imunológico está abalado, é possível que ela se manifeste na forma grave

Gestante com as mãos sobre o ventre
Ellen Cristie
Ellen Cristie7, Maio - 20216.7 minutos de leitura

Já ouviu falar em toxoplasmose? Conhecida como a doença do gato, ela é provocada por um protozoário - Toxoplasma gondii (T. gondii) -, sendo os gatos os hospedeiros definitivos e os seres humanos os hospedeiros intermediários. 

Transmitida frequentemente pelo consumo de alimentos contaminados pelos cistos do parasita ou por meio do contato de fezes de gatos infectados, a toxoplasmose também pode ser transmitida de mãe para filho, mas isso somente ocorre quando a doença é diagnosticada na gravidez ou o tratamento é inadequado.

Muitas vezes, a toxoplasmose não provoca sintomas, mas nos casos em que o sistema imunológico está abalado, é possível que ela se manifeste na forma grave, com complicações como convulsões, cegueira e morte. 

Mas como ocorre a transmissão?

Alimentos crus e mal higienizados, como carne crua ou mal cozida, ou ainda carne defumada e embutidos, podem estar contaminados com as fezes de gatos infectados, o que faz com que a pessoa seja diagnosticada com toxoplasmose. Água contaminada com cistos do parasita é outra forma de contágio. 

No caso das mulheres grávidas, a passagem do parasita pode ocorrer pela placenta, mas depende de outros fatores, como o sistema imunológico da gestante e a fase da gravidez. 

Por que a toxoplasmose é tão perigosa na gravidez?

Geralmente assintomática para a mulher, a toxoplasmose pode representar risco para o bebê, especialmente no terceiro trimestre de gestação, já que nessa fase há maior facilidade de o parasita atravessar a placenta e atingir o bebê. 

Apesar dessa facilidade, a infecção no primeiro trimestre de gravidez pode causar complicações mais graves, como aborto ou malformação do feto, já que o bebê está em pleno desenvolvimento.

Principais sintomas

Como na gravidez, a mulher está mais vulnerável, é possível que alguns sintomas sejam observados, como:

  • Mal-estar
  • Dor de cabeça
  • Febre
  • Ínguas inflamadas, especialmente na região do pescoço
  • Dor muscular
  • Dor nas articulações
  • Dor de garganta
  • Dificuldade para enxergar (uveíte)
  • Fadiga
  • Manchas vermelhas pelo corpo

Como é o diagnóstico?

Mesmo que não existam sintomas, o diagnóstico deve ser feito rapidamente para que não haja complicações para o bebê. 

Os exames inicialmente envolvem exames de sangue para identificar se a gestante foi infectada, se teve contato com o parasita ou adquiriu imunidade.

Caso se comprove que houve contaminação recente, ou seja, durante a gravidez, o obstetra pode vir a solicitar uma amniocentese para verificar se o bebê foi ou não afetado.

Uma ultrassonografia feita geralmente no final da gestação também pode avaliar se houve contágio.

Quais são os riscos da toxoplasmose na gravidez?

Os riscos dependem da fase da gestação em que a mulher se encontra. Nos casos mais graves, a doença pode prejudicar o funcionamento de órgãos importantes, como pulmões,coração, cérebro, fígado etc., com consequências também graves, como delírios, redução da força, dos movimentos do corpo, sonolência e cansaço forte. 

No geral, os riscos mais comuns são:

  • Aborto espontâneo
  • Morte logo após o nascimento
  • Malformação do feto
  • Parto prematuro
  • Baixo peso ao nascer

Riscos da toxoplasmose após o nascimento

  • Pneumonia
  • Anemia
  • Atraso mental
  • Surdez
  • Convulsões
  • Inflamação do coração
  • Alteração no tamanho da cabeça do bebê 
  • Aumento do fígado
  • Icterícia intensa
  • Inflamação dos olhos (cegueira)
  • Estrabismo

Mesmo com os exames, a toxoplasmose pode não ser detectada assim que o bebê nasce, podendo se manifestar meses ou anos após o nascimento. 

Tratamento

O tratamento para a toxoplasmose durante a gravidez é conservador, ou seja, o objetivo é tratar a mãe, reduzindo o risco de transmissão para o bebê. Para isso, são usados antibióticos. 

A duração do tratamento será influenciada por diversos fatores, como: estágio da gravidez e avaliação do sistema imune. 

Caso o bebê já esteja infectado, também é indicado o uso de antibióticos, que deve ser iniciado logo após o nascimento. 

Cuidados

Para evitar qualquer possibilidade de contaminação, é importante que a gestante tenha cuidados com relação à higiene pessoal e alimentação, diminuindo também os riscos para o bebê. 

Não ingerir carne crua ou mal cozida, lavar as mãos várias vezes ao dia e consumir frutas e legumes bem lavados ou cozidos, evitando comer saladas fora de casa.

Outra dica é evitar o contato com gatos desconhecidos e sempre lavar as mãos caso toque em outros animais. O uso de uma luva ao limpar a caixa de areia e recolher fezes dos gatos é recomendável.