Ansiedade infantil: como controlar

Sentimento normal, tanto na infância quanto na vida adulta, a ansiedade pode causar também sensações físicas

Criança sozinha de costas, com a cabeça baixa
Ellen Cristie
Ellen Cristie13, Maio - 20216.7 minutos de leitura

Medo de que algo dê errado, preocupação com o futuro, visão de perigo à vista. A ansiedade infantil pode ser caracterizada como uma reação da criança diante de alguma percepção de ameaça, o que contribui para o disparo de um alarme. Isso ocorre devido a uma onda de hormônios como a adrenalina, que prepara o corpo para uma reação. 

Sentimento normal, tanto na infância quanto na vida adulta, a ansiedade pode causar também sensações físicas, como:

  • Tontura
  • Mãos suadas
  • Tremores
  • Dificuldade respiratória
  • Batimento cardíaco acelerado

Isso ocorre porque o córtex cerebral (parte mais externa do cérebro) recebe a informação e checa se a “ameaça” é ou não real e como lidar com ela. Caso o córtex perceba que não há perigo, o sistema nervoso incorpora esse dado e, digamos, se acalma.

Nos casos em que a ansiedade é maior do que o esperado, ou acontece de forma repentina ou constante, afetando o cotidiano da criança, ela passa a ser considerada um problema patológico, com tratamento específico.

Quais são as principais causas de ansiedade?

Existem alguns “gatilhos” que podem contribuir para esse transtorno. São eles:

Causas hereditárias

Resultam de material genético, de geração para geração.

Aprendizagem no meio

Resultam do contato com familiares que são ansiosos ou por repetição do comportamento dessas pessoas que, involuntariamente, podem reforçar o medo nas crianças. 

Estilos de educação parental

Se a educação for superprotetora, a criança fica excessivamente protegida e não se sente incentivada a sair de sua zona de conforto. Exemplo: se a criança não pode ir para a casa de um amigo, fazer um esporte, estudar fora etc. 

Se a educação for supercrítica, os pais focam excessivamente nos erros da criança e as críticas tornam-se mais frequentes que os elogios, sendo contraproducentes e resultando em estados de ansiedade cada vez maiores. 

Situações de vida

Resultam de episódios traumáticos, como acidentes, traumas, catástrofes naturais, histórico de abuso e violência, assaltos etc. 

Também é resultado de episódios de vida causadores de estresse, como separação dos pais, mudança de casa ou escola, doença ou morte de algum familiar, pais física ou emocionalmente ausentes, situação financeira, chegada de um irmão etc.