5 Dicas Para Pais de Primeira Viagem

5 Dicas Para Pais de Primeira Viagem
Ellen Cristie
Ellen Cristie16, Janeiro - 2021

Então chegou o momento! Você será pai pela primeira vez! Como está seu espírito para a chegada desse novo ser? Quais são suas dúvidas e expectativas? Frente à uma avalanche de emoções, muitas vezes as pessoas se esquecem dos “pais de primeira viagem”, focando as atenções somente na futura mãe.

Pensando nisso, preparamos algumas dicas para você vivenciar possíveis situações que podem ocorrer com a chegada do seu filho.

“Converse” com seu filho desde o primeiro mês de gravidez

A maioria dos homens que serão pais não conversam com seus futuros filhos dentro da barriga da mãe. Alguns deles depois do sexto mês de gravidez, mas apenas uma pequena quantidade interage com o filho antes do nascimento.

Mesmo que sejam conversas aleatórias, sobre o dia a dia, o trabalho ou mesmo sobre o futuro, o importante é que essa interação ocorra desde o início. Além de ajudar a criar uma forte ligação afetiva que vai acompanhá-los por toda a vida, a audição é o primeiro sentido a se desenvolver.

Especialistas dizem que a partir da 24ª de gestação, o bebê já consegue escutar vozes e familiarizar-se com elas. Alguns pais relatam, inclusive, que o feto pode reagir a uma determinada voz com movimentos. Sendo assim, não há dúvidas que conversar com o bebê favorece seu desenvolvimento neuronal e emocional. Além de ser um ingrediente a mais na história entre pai e filho.

Pesquise sobre os cuidados essenciais com o bebê

Informação nunca é demais. Trocar fraldas, segurar o bebê, dar banho, papinha e levar para passear. Essas e tantas outras funções são importantes para quem pretende ser pai.

Diferentemente do que geralmente ocorre – o pai fica por conta de trabalhar, enquanto a mãe fica com todas as atividades relacionadas ao bebê – , você pode começar a pesquisar sobre os principais cuidados com o bebê antes do fim da gravidez, já que depois que seu filho nascer, as atribuições vão aumentar…e muito!

Alimentação, xixi, cocô, regurgitação e tantos outros detalhes. Nada de desespero. Você vai ver que ao se informar e, depois, praticar, vai tirar de letra.

Não apenas ajude; seja protagonista

A divisão de funções, quando se trata dos cuidados com o filho, sempre pendeu mais para o lado da mulher. Quantas vezes não ouvimos comentários do tipo “Fulano ajuda muito, é muito bom para o filho dele”, “Ele é um ótimo pai, ajuda a mulher em vários momentos”. Ajuda? Este não deveria ser o verbo a ser usado.

Dividir tarefas é papel dos pais de primeira viagem. Caso a mulher esteja muito cansada, é função do pai se oferecer para cuidar do bebê – especialmente no primeiro mês de vida do recém-nascido.

E prepare-se, porque esse começo realmente demanda muita energia. Os horários ficam desencontrados porque muitas vezes o bebê dorme o dia inteiro e fica acordado à noite. Portanto, oferecer-se antes que a mulher dê um grito de socorro é essencial.

Além de dividir responsabilidades e salvar a mulher de um esgotamento físico e emocional, você passa a fazer parte da vida do bebê de forma real e ativa.

Participe do processo de alimentação, mesmo que for por leite materno

Você deve estar se perguntando como um homem pode participar do aleitamento materno, não é mesmo? Mas você pode segurar o bebê no colo e colocá-lo para arrotar quando terminar a amamentação.

Nas madrugadas, quando a mãe estiver muito cansada por ter ficado dias sem dormir, caso o bebê acorde, você pode trocar a fralda dele e entregá-lo limpinho para uma nova mamada.

Se ele for alimentado com fórmula, a situação muda. Você pode preparar o leite e dar a ele, sem a necessidade de acordar a mãe. Assim, você fortalece o vínculo com seu filho e dá suporte a sua companheira.