5 dicas para cuidar dos olhos do bebê

Durante a primeira década de vida, o sistema visual da criança amadurece, sendo o período mais crítico os primeiros 18 meses

Bebê com os olhos bem abertos
Ellen Cristie
Ellen Cristie29, Junho - 20215.4 minutos de leitura

Quem imaginaria que os cuidados com a saúde ocular de uma criança deveriam iniciar ainda na barriga da mãe? Segundo dados do Ministério da Saúde, publicados nas Diretrizes de Atenção à Saúde Ocular na Infância, a cada ano, aproximadamente 500 mil crianças ficam cegas e cerca de 80% das causas de cegueira infantil são preveníveis ou tratáveis. 

A partir desses números, quanto antes ocorrer o diagnóstico, o tratamento e a reabilitação visual, maiores são as chances de redução da deficiência visual. 

Como é a evolução da visão de um bebê?

Desde o nascimento, embora não estejam completamente desenvolvidos, os elementos anatômicos essenciais para o processamento visual do bebê estão presentes.

Durante a primeira década de vida, o sistema visual da criança amadurece, sendo o período mais crítico os primeiros 18 meses. Uma vez que o desenvolvimento da criança ocorre de forma global envolvendo todas as áreas do desenvolvimento motor, visual e cognitivo, deve-se entāo, avaliar esta integraçāo por meio de reaçōes perceptivo-visuais, que serāo progressivamente melhor coordenados de acordo com a idade cronológica. 

Por isso, listamos abaixo algumas dicas para cuidar dos olhos do bebê adequadamente desde o início da vida. Vamos a elas:

Certifique-se que tudo está bem no pré-natal

Os cuidados com a saúde ocular do bebê devem começar ainda no pré-natal. Nessa fase, é possível detectar e controlar doenças nas gestantes, a exemplo da toxoplasmose, sífilis e herpes, patologias que podem colocar em risco a visão do feto. 

No pós-parto, as atenções se voltam para o teste do olhinho, um exame que investiga se há alguma alteração ocular no recém-nascido, como glaucoma congênito (um dos sinais é a fotofobia), catarata congênita (é comum em mães que tiveram infecção), retinoblastoma (tumor na retina), entre outras.

Leve o bebê ao oftalmologista antes dos 2 anos 

Mesmo que o bebê não apresente nenhum sinal de que tenha alguma alteração na vista, é importante levá-lo ao oftalmologista, de preferência de seis em seis meses. Aos seis meses de vida, é normal que ocorra algum desvio dos olhos.

A falha contribui para que os olhos não foquem a imagem no mesmo sentido e ao mesmo tempo, o que pode levar à diminuição da visão, perda da percepção de profundidade e visão dupla. Entre os tratamentos estão o uso de óculos especiais, tampão, exercícios para os olhos ou cirurgia.

Após 2 anos, é recomendável levar a criança ao especialista pelo menos uma vez por ano até que ela complete 10 anos. 

É que tanto na fase pré-escolar (dos 4 aos 6 anos) quanto na segunda infância (a partir dos 6 anos até a adolescência), é comum aparecerem erros de refração, que se traduzem em problemas como astigmatismo, miopia, hipermetropia e estrabismo, sendo que este último - o desalinhamento dos olhos - ocorre em pelo menos 5% da população infantil. 

Higienize bem os olhos do bebê

A limpeza dos olhos do bebê deve ser feita pelo menos uma vez por dia, geralmente no momento do banho. O ideal é pegar um chumaço de algodão ou uma gaze umedecida com água morna, antes de colocar o bebê na banheira. Passe o algodão molhado na pálpebra superior, indo na direção dos cílios. Use um algodão para cada olho.